O planeta está doente

O planeta está doente

Fraternidade e vida no planeta

A que leva este tema? Leva a pensar que “A terra geme em dores de parto”.

Expressão chocante. Questão para os ecologistas? Não. É questão de sobrevivência de todos, de fraternidade:

  • Reflete a questão ecológica, com foco, sobretudo, no problema das mudanças climáticas.
  • Manifesta que se expande cada vez mais o respeito pelo meio ambiente, lugar que Deus nos colocou.
  • Alerta que este lugar que nos foi dado para viver e conviver, deve se tornar o paraíso que tanto sonhamos. Depende de nós.
  • Revela que há exploração descuidada e gananciosa dos recursos do planeta.
  • Abre nossos olhos e ouvidos para ver e ouvir em cada terremoto, inundação, catástrofe, que o planeta geme de dor e tristeza, e a humanidade faz o mesmo.

A terra está gravemente doente e com febre:

Esta situação doentia se manifesta pelo:

▪ Aquecimento global provocado pela poluição industrial

▪ Consumismo que ajuda neste processo

▪ Efeito estufa

▪ Desmatamento e destruição da camada de ozônio

▪ Derretimento de geleiras e desgelo das calotas polares

▪ Desaparecimento de espécies de animais e de plantas. Em média 5.000 espécies desaparecem todo ano

▪ Aumento de furacões, terremotos, tsunamis – A ONU diz que as catástrofes aumentam 6‰ ao ano

▪ Aumento de epidemias, falta de água potável em muitos países…

É preciso reverter esta situação. Podemos transformar estes gemidos em vozes de amor e de esperança!

Para atingir este objetivo, é necessário:

  • Promover a discussão sobre os problemas ambientais com foco no aquecimento global;
  • Identificar e denunciar irresponsabilidades  concretas e éticas;
  • Mostrar a gravidade e a urgência dos problemas ambientais provocados pelo aquecimento global, articulando a realidade local e regional com o contexto nacional e planetário;
  • Trocar experiências positivas;
  • Propor caminhos para a superação dos problemas ambientais relacionados ao aquecimento global.

Atitudes concretas possíveis:

Utilizar sacolas plásticas

♠ Reciclar o lixo, apoio a cooperativas

♠ Reciclar óleo de cozinha

♠ Usar menos papel e mais tecnologia digital

♠ Preservar as matas na hora de construir, e os diversos biomas existentes

♠ Cobrar das autoridades a limpeza dos rios, evitando a poluição

♠ Reaproveitar a água da chuva

♠ Exigir mais ciclovias

♠ Consumir produtos naturais

♠ Exigir da prefeitura apoio para os catadores de lixo

♠ Depositar baterias e celulares quebrados em lugares apropriados

♠ Denunciar desmatamentos e queimadas

♠ Usar lâmpadas econômicas

♠ Exigir maior fiscalização sobre meio ambiente

♠ Incentivar o plantio de árvores

♠ Cobrar das autoridades o saneamento básico para as cidades

♠ Evitar o uso de agrotóxicos

Conclusão:

A Terra é forte, já passou por diversas fases e sobreviveu. Mas o ser humano é frágil, ele não sobreviverá às mudanças como estão sendo previstas.

Equipe Meritocat

(Baseado na exposição do Padre Ivanor Macieski, Assessor Diocesano da Comunicação – Diocese de Joinville-SC – na conversa com a imprensa sobre a CF 2011.)