Educação sexual ou imposição sexual?

Educação sexual ou imposição sexual?

No âmbito da sexualidade corre-se o perigo de se pretender substituir a educação sexual pela imposição de conhecimentos sobre sexualidade.

Educação sexual na Espanha – Alerta Dom Eduardo, arcebispo de Sorocaba:  Acabo de ler o seguinte conteúdo em Biblioteca Virtual Católica da Espanha: ‘As autoridades educacionais levam a pornografia e a masturbação à escola. Os professores obrigam meninos de 12 anos a examinar detidamente revistas pornográficas na classe. Isso está acontecendo na Espanha. Os professores obrigam os meninos em classe a falar de  masturbar-se. A pornografia chegou à escola onde levamos nossos filhos…Nas aulas já entrou a masturbação como matéria de aprendizagem. Os professores falam do tamanho do pênis e recomendam que comecem o quanto antes a manter relações sexuais. Muitos pais de crianças andaluzas estão apresentando denúncias porque essas são as coisas que  estão ensinando a seus filhos. E por experiência, por triste experiência, já sabemos que as maiores atrocidades cometidas por este governo começaram pela Andaluzia ou Catalunha como teste para logo implantar-se em toda a Espanha. Não consintas que submetam teus filhos a semelhante grau de perversão. Expulsa logo essa ‘educação’ sexual de nossas escolas. Se não reagimos imediatamente, se não os fazemos parar, a promoção da homossexualidade, a pornográfia e a masturbação entrarão também no colégio de teus filhos. E, então, talvez seja tarde para reagir. E não adiantará então se queixar’. Sabemos que no Brasil há um grupo no Ministério da Educação que pretende impor às nossas escolas coisas muito semelhantes.”

Tarefa dos leigos cristãos – Segundo o prelado, cabe aos fiéis leigos cristãos defender  “a dignidade da pessoa, a importância do matrimônio e da família, bem como a zelar pela educação das crianças e dos jovens, participando e exigindo que as escolas respeitem os princípios morais derivados da natureza humana e explicitados na revelação cristã.”

Inculturar o homossexualismo – Segundo Dom Eduardo, em seu artigo Alerta aos educadores, publicado no site CNBB, a presidente “mandou sustar a distribuição do material, sobre homofobia, preparado pelo MEC por julgá-lo impróprio.”  “Na verdade a proposta do referido grupo tinha o objetivo de inculturar o homossexualismo – as práticas homossexuais – e não comprender a homossexualidade e como trabalhar a questão do ponto de vista pedagógico.”

Pensamento de um grupo – Por fim, conclui o arcebispo de Sorocaba: A propósito de medidas educativas para proteção das pessoas de condição homossexual, a presidente teria afirmado que o assunto deve ser mais debatido pela sociedade. Fica, pois, claro, que o que se propunha foi elaborado por um grupo restrito que não representa nem de longe o pensamento da maioria dos educadores de nosso país.”

Diante deste contexto, qual deve ser a posição dos pais e dos cristãos?