Para Maria ou para Cristo?

Para Maria ou para Cristo?

Tudo a Maria ou tudo a Cristo?

     Alguns devotos de Maria podem ficar escandalizados se dissermos que a devoção a Maria não pode prevalecer sobre a devoção a Jesus. Compreensível a consternação? Compreensível pela sempre cantada e merecida ternura do amor de mãe.

    Todavia, não há como negar: há um só mediador entre Deus e as pessoas. “Pois há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, um homem, Cristo Jesus, que se deu em resgate por todos” (1Tm 2,5-6). 

     “Sim, não dizemos que Maria é medianeira das graças?” Sem dúvida. A função maternal de Maria para conosco, de nenhum modo obscurece ou diminui mediação única de Cristo. “Longe de impedir, fomenta ainda mais o contato imediato dos fiéis com Cristo”.[1] A devoção a Maria deve, pois, fomentar a união a Cristo, como a Mãe que conduz os irmãos, ao seu Filho.

     Por que atribuímos tanto valor a Maria? Por que ela foi mãe de Deus? Também, mas o mérito dela está em ter vivido para Jesus, em ter sido instrumento da mão de Deus. Foi dócil ao apelo do Senhor. Era uma simples menina da descendência de Davi. Mas o Senhor  “olhou para sua pobre serva e a tornou bem-aventurada entre  todas as gerações” (Lc 1,48).  De simples menina a bem-aventurada! Já viu que salto esplendoroso? Mais uma coisa: Viu como a humildade foi e é condição para Deus agir?

     Maria foi escolhida para quilo que tantas meninas do seu tempo sonhavam. “Ela deu à luz um Filho, um menino, aquele que deve reger todas as nações pagãs com cetro de ferro” (Ap 12,5). Ele rege minha vida, a sua?

     A vida de Maria se desenvolveu para Cristo, em função dele, com vistas a sua missão. Foi centrada em Cristo. A“Mulher revestida do sol” (Ap 18,1) contribuiu para que o Filho entregasse “o Reino a Deus, ao Pai”. Essa entrega iniciou-se e será concluída depois de haver destruído todo principado, toda potestade e toda dominação (1Cor 15,24).

     Maria deu sua contribuição para que isto acontecesse: possibilitou que o Filho viesse nos mostrar como viver. Que contribuição você e eu estamos dando para que a oferenda deste mundo ao Pai se complete?

     Tudo para o Filho. “Com seu amor de Mãe, Maria cuida dos irmãos de seu Filho, que ainda peregrinam e se debatem entre perigos e angústias, até que sejam conduzidos à Pátria feliz. Por isso, é invocada como Advogada, Auxiliadora, Amparo e Medianeira. Mas isto deve entender-se de modo que nada tire nem acrescente à dignidade e à eficácia de Cristo, Mediador único”.[2]

     Que Maria interceda por nós junto ao Filho!

 Eu, diante da Palavra

Olhou para a pobreza
4 Porque olhou para sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações” (Lc 1,48)

A humildade é condição para Deus agir.  Apresento as condições necessárias para que o Senhor se manifeste em minha vida?

Reger  as nações
Ela deu à luz um Filho, um menino, aquele que deve reger todas as nações pagãs com cetro de ferro” (Ap 12,5).

Ele rege a minha vida?

Revestida de sol
1 Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas (Ap 18,1).

Para mim, Maria é revestida de sol e como tal ilumina minha vida?

Destruir as potestades
24 Depois, virá o fim, quando entregar o Reino a Deus, ao Pai, depois de haver destruído todo principado, toda potestade e toda dominação (1Cor 15,24).

Todo poder humano será destruído e os humildes, como Maria, serão bem-aventurados. Estarei entre estes?

Que ele reine
25 Porque é necessário que ele reine, até que ponha todos os inimigos debaixo de seus pés. (1Cor 15,26)

Pela vida que levo serei exaltado ou estarei sob os pés do Senhor?

Minha prece

Que se vistam de alegria os vossos santos,
e os vossos sacerdotes, de justiça!
Por causa daqueles que vos são fiéis,
não afasteis do vosso ungido a vossa face!
Quero viver, Senhor, como Maria,
Voltado para o Filho, numa entrega resignada e confiante.



[1] Constituição dogmática Lumen Gentium, 60.

[2] Constituição dogmática Lumen Gentium, 62.