Inveja dos bens divinos dos outros

Inveja dos bens divinos dos outros

Inveja dos bens divinos dos outros

Ter inveja dos dons divinos. Não é mais comum ter inveja dos bens materiais alheios? Ou ter inveja do outro ser uma pessoa boa? Parece.      Contudo, até daquilo que Deus dá ao outro, é possível se ter inveja.  Já aconteceu no tempo de Moisés.

     Inveja de profetizar –O Senhor apareceu a Moisés, tomou uma parte do espírito que o animava e deu aos setenta anciãos do meio do povo hebreu. Apenas repousara o espírito sobre eles e começaram a profetizar. Um jovem correu a dar notícias a Moisés.  Logo que ouviu,  Josué, filho de Nun, servo de Moisés desde a sua juventude, tomou a palavra e já interceptou: “Moisés, disse ele, meu senhor, impede-os.”

Observou a inveja?  Moisés, porém, respondeu: “Por que és tão zeloso por mim? Prouvera a Deus que todo o povo do Senhor profetizasse, e que o Senhor lhe desse o seu espírito!” (Nm 11,29).

     Comunidades –   Entre os que trabalham em comunidades, essas intriguinhas facilmente acontecem. Gosta-se de aparecer. Até ao fazer as coisas mais humildes. Até ali, a pessoa tenta achar um jeito fazer de modo que os outros a vejam que está colaborando. Tudo bem. Como não admitir que haja algo de menos nobre, nesta Igreja que é tão divina e também humana, não é mesmo?

Os apóstolos também queriam proibir uma pessoa que expulsava demônios em nome de Deus, e não era apóstolo.  “Jesus, porém, disse-lhe: Não lho proibais, porque não há ninguém que faça um prodígio em meu nome e em seguida possa falar mal de mim.  Pois quem não é contra nós, é a nosso favor” (Mc 9,39-40). Sim, se todos os dons provêm do Espírito, porque se aborrecer com o Espírito que deu a alguém e não lhe deu? Será que não é porque está faltando algo para você merecer? Faça essa parte que está faltando, e também receberá. Experimente.

     Exploração – O que não dá, é querer merecer dons divinos, enquanto explora os outros. Isso não dá. “Eis que o salário, que defraudastes aos trabalhadores que ceifavam os vossos campos, clama, e seus gritos de ceifadores chegaram aos ouvidos do Senhor dos exércitos” (Tg 5,4). E chegam mesmo. Exploro alguém? Pois é. Depois, fico com inveja dos que recebem dos divinos!

O caminho para merecê-los é o de sempre: é ver Cristo no outro é fazer o bem a ele. “E quem vos der de beber um copo de água porque sois de Cristo, digo-vos em verdade: não perderá a sua recompensa”(Mc 9,41).

     Merecer – Aberto de coração, passo a merecer as recompensas divinas. Os dons divinos choverão sobre mim. Não é preciso ficar com inveja dos outros. O tempo que gasto remoendo de dor pelo que os outros conseguem e eu não, é melhor gastá-lo investindo em ser melhor para também merecer os dons divinos.

A inveja mata. E após essa morte… haverá ressurreição? Para onde?

 Eu, diante da Palavra

Bens materiais foram conseguidos desonestamente; não resistirão.
3 Vosso ouro e vossa prata enferrujaram-se e a sua ferrugem dará testemunho contra vós e devorará vossas carnes como fogo (Tg 5,3).

Os bens que ajuntei darão testemunho contra mim, por terem sido conseguidos desonestamente?

Vão receber recompensas quem auxilia discípulos
41 E quem vos der de beber um copo de água porque sois de Cristo, digo-vos em verdade: não perderá a sua recompensa.(Mc 9,41).

Preocupo-me mais em fazer o bem do que em julgar o que os outros fazem?

Exploração de trabalhadores – é contra respeitar os diversos repartidos
Eis que o salário, que defraudastes aos trabalhadores que ceifavam os vossos campos, clama, e seus gritos de ceifadores chegaram aos ouvidos do Senhor dos exércitos. (Tg 5,4).

Exploro o trabalho de alguém?

 Minha prece

Senhor, mereço vossos dons,
Se guardo vossa lei.
Preservai-me do orgulho:
que ele não prevaleça sobre mim!
Se eu for puro serei preservado
dos delitos mais perversos.
Com vossos dons quero ter forças para caminhar ainda mais
No caminho do bem.