O sofrimento como caminho

O sofrimento como caminho

Participação na redenção

Sofrimento como caminho? Sim, caminho para a realização. É mais fácil acreditar num caminho para a felicidade menos pedregoso, não? Geralmente é o que pedimos.

Difícil compreender – Os apóstolos já não compreenderam. Para nós também é difícil admitir o sofrimento como caminho para nossa salvação. Normalmente pedimos paz, saúde, bem-estar. Entretanto, não sabemos o que pedimos. Pedimos algo pensando ser bom para nós, mas nem sempre  o será. Deus sabe.  “Não sabeis o que pedis, retorquiu Jesus. Podeis vós beber o cálice que eu vou beber, ou ser batizados no batismo em que eu vou ser batizado?”  (Mc 10,38). Os apóstolos não haviam compreendido o que Jesus devia passar.  Até que ponto também nós compreendemos o sofrimento como caminho para redenção?

Completar – O sofrimento tem um sentido. “Como assim?” pode estar perguntando você.  Ele é a antessala do bem-estar cristão.  “O Justo, meu Servo, justificará muitos homens, e tomará sobre si suas iniqüidades” (Is 53,11). O Justo! Como pode!  Todavia, ele mostrou o caminho para a salvação. Cristo está presente em quem sofre. Todos os que sofrem foram chamados  “a tornarem-se participantes ‘dos sofrimentos de Cristo’. Assim como todos foram chamados a ‘completar’ com o próprio sofrimento ‘o que falta aos sofrimentos de Cristo’ “. Observou como a pessoa que sofre é co-redentora? Completa o que faltou para a redenção do mundo? Como ensina João Paulo II(1) “Cristo ensinou o homem a fazer bem com o sofrimento e, ao mesmo tempo, a fazer bem a quem sofre”. O compadecimento é virtude cristã.

Provações – A salvação passa pelo compadecimento. Apesar de justo o Ungido não se portou como insensível a nós, apesar de nossa rebeldia. Por isso, “não temos nele um pontífice incapaz de compadecer-se das nossas fraquezas. Ao contrário, passou pelas mesmas provações que nós, com exceção do pecado”  (Hb 4,15). Quanta bondade de Deus em nos dar um exemplo tão pleno! Jesus foi humano como nós. Mostrou como é o caminho para alcançarmos a felicidade que sonhamos. Não se abateu com as provações.

Oferecer a vida – Não é bem como gostaríamos de fazer. Mas o Justo foi à nossa frente. “Aprouve ao Senhor esmagá-lo pelo sofrimento; se ele oferecer sua vida em sacrifício expiatório, terá uma posteridade duradoura, prolongará seus dias, e a vontade do Senhor será por ele realizada” (Is 53,10).  Oferecer a vida em sacrifício. Por quem é preciso fazer? Pelo próximo, por amor ao Justo que também fez o mesmo. Deitar de novo numa cruz? Também, na cruz de proporcionar condições de vida digna a quem não tem. É sofrido, mas é preciso oferecer vida ao próximo.

Com Jesus, o sofrimento foi mostrado como caminho para a vitória. Vitória! Não é isso que todos queremos? O Justo mostrou. Agora… a decisão de caminhar é nossa.

 Eu, diante da Palavra

Não sabemos o que pedimos
38 “Não sabeis o que pedis, retorquiu Jesus. Podeis vós beber o cálice que eu vou beber, ou ser batizados no batismo em que eu vou ser batizado?”  (Mc 10,38).

Estou disposto a passar pelo que Jesus passou?

Dos tormentos ao enlevo
11 Após suportar em sua pessoa os tormentos, alegrar-se-á de conhecê-lo até o enlevo. O Justo, meu Servo, justificará muitos homens, e tomará sobre si suas iniqüidades (Is 53,11)

Ele assumiu nossas culpas. E costumo assumir as minhas?

Compreendeu nossas fraquezas
15 Porque não temos nele um pontífice incapaz de compadecer-se das nossas fraquezas. Ao contrário, passou pelas mesmas provações que nós, com exceção do pecado  (Hb 4,15)

Como também erro, sou capaz de compadecer-me das fraquezas do outros?

Ofereceu-se em sacrifício e posteridade
10 Mas aprouve ao Senhor esmagá-lo pelo sofrimento; se ele oferecer sua vida em sacrifício expiatório, terá uma posteridade duradoura, prolongará seus dias, e a vontade do Senhor será por ele realizada  (Is 53,10)

Que posteridade estou deixando no mundo?

 Minha prece

Ó Senhor, pousais o olhar sobre os que vos respeitam
e confiam esperando em vosso amor.
Libertais da morte os que vos amam
para que tenham vida.
Alimentais a todos no tempo de penúria.
Senhor, convosco o sofrimento se torna suportável.
Que estejais sempre comigo, Senhor,
especialmente na hora do sofrimento,
na hora em que posso fraquejar.
Que assim seja.

———————————————————————————

(1) Na Carta Apostólica Salvifici Dolores, João Paulo II