Por que a decepção com os resultados da Rio +20?

Por que a decepção com os resultados da Rio +20?

Meio ambiente e  a decepção com os resultados da Rio+20?

Assista também o vídeo sobre o mesmo tema

      Há pouco tempo tivemos a Conferência internacional Rio + 20. Visava uma tomada de posição sobre os problemas do meio ambiente. Será que alcançou os objetivos? A maioria das pessoas acha que não.

Expectativa – Por que será que não? Segundo Dom Odilo Scherer, cardeal arcebispo de São Paulo, se ficou na boca um gostinho de amargo, porque o resultado não foi o ideal, talvez também foi porque se esperou demais de uma Conferência, que não tinha poderes decisórios.[1]  

     Mas, a gente se pergunta: como não tinha poderes decisórios? E os chefes de Estado que estiveram lá? E os representantes? E os assessores?

     Sim, talvez pudessem ter feito mais. O problema é que as ações para melhorar o meio ambiente implicam mudanças na estrutura da indústria, no modo de exploração dos recursos naturais. Isso é difícil de conseguir porque contraria a sede de lucros. O individualismo dos agentes de produção. A fonte da maior parte dos males contra a natureza é o ser humano.

A pessoa – A fonte dos males é o coração da pessoa. O sucesso das ações quanto ao meio ambiente depende sim das Unidades de produção, mas depende também daquele que joga latinha de refrigerante na margem da estrada enquanto anda de carro, depende de quem deixa um filete de água vasando dia e noite no banheiro, depende de quem joga lixo na rua e entope os bueiros, depende de quem fuma e joga fumaça no ar, dependeu da Conferência Rio + 20, mas depende também  que somos cada um de nós.

Tomada de consciência –  Por que aconteceu a Rio + 20? Por causa da quantidade de pessoas que está sendo fonte de poluição.

     Então a conferência Rio + 20 foi uma decepção como a Conferência de Kyoto? Talvez, diante da expectativa de muitos. Mas –  segundo a opinião de Dom Odilo – é inegável que a Rio+20 contribuiu para uma nova tomada de consciência sobre os problemas decorrentes da relação, nem sempre responsável, do homem com a natureza. E isso não é nada desprezível.

     É verdade. Esta chamada de atenção é sempre útil.

     A Conferência valeu como  oportunidade para tomada de consciência… será? Que a decepção seja um desafio à proatividade, a uma decisão pessoal em prol da natureza e, por consequência, de nós próprios.

 




[1]Baseado no artigo E depois da Rio+20? Do Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São (SP), no site da CNBB, em 25/06/2012, acessado em 11/07/2012.