As tentações de hoje

As tentações de hoje

Tentações

Jesus foi homem e Deus. Enquanto homem foi tentado, como nós somos. Que bom que temos um intercessor que passou por situações semelhantes à nossa,  não?   Depois de batizado, cheio do Espírito Santo,  Jesus  “foi levado pelo Espírito ao deserto” (Lc 4,1).

     Sabe o que é viver num deserto? É difícil. É um lugar onde falta tudo: pessoas, comida, água, conforto, ombro amigo. O deserto é duro. A essa dureza Jesus foi conduzido para refletir sobre sua vida, sua missão, fazer uma experiência de encontro consigo mesmo e com aquele que o enviou.

E o que aconteceu ali? Ele foi tentado. Jesus  “foi levado pelo Espírito ao deserto onde foi tentado pelo demônio durante quarenta dias” (Lc 4,2). Resistir à aflição interna e externa durante todo este tempo não é fácil. Mas Jesus resistiu.

     Hoje.  Em nossos dias, quem não é tentado a se guiar pelo prazer, a sonhar com riqueza, com poder? Quase todos. Desde a criança que exige comida, colo, até o adulto que está à beira da morte, clamando para que continue a viver. O bem-estar nos seduz. Temos instintos que gritam dentro de nós, clamam por bens, poder e prazer. Contudo, muitas pessoas, apesar de gozar de todos estes privilégios, não encontram consolo para seu vazio existencial.

     A solidão é o deserto em que muitos vivem. A vida no deserto é difícil. Este deserto muitas vezes leva ao desânimo, à falta de sentido para a vida. Já observou que, nestas situações, muitos atentam contra a própria vida? A solidão e a aridez do deserto com suas incertezas, são angustiantes. Neste deserto existencial  muitos são tentados a se revoltar com os que têm alguma  coisa, com Deus, com  estado em que vivem.

     Quem é tentado é alvo de confusão. São induzidos à confusão de valores. Mas nem todos se confundirão. “A Escritura diz: Todo o que nele crer não será confundido”  (Rm 10,11). Hoje campeiam sobre a terra valores opostos. Jesus ensina a pobreza; o mundo, a riqueza. O mundo cultiva a lascívia; Jesus, a pureza de coração. Jesus ensina que o importante é a humildade; o mundo ensina que é bom ter poder. Estes extremos se debatem dentro do nosso coração. Confundem nossos desejos e afligem nossas consciências. No entanto, os aflitos, sinceros de coração, são ouvidos  se clamarem a Deus. 

     É preciso clamar.  “Clamamos então ao Senhor, o Deus de nossos pais, e ele ouviu nosso clamor, e viu nossa aflição, nossa miséria e nossa angústia” (Dt 26,7). Ele nos ouve.  Quem são os aflitos? São os que se esforçam para serem bons,  mas sofrem porque não alcançam os resultados que pretendem. São reféns do desejo de prazer, de mais bens materiais. Muitos, apesar de saberem que não devem, continuam  explorando o próximo sob o manto de algumas desculpas, como “ele trabalha para mim porque quer”. É a fraqueza humana! Não basta alguém dizer que crê; é preciso viver o que acredita.

     Crer com o coração. “9Portanto, se com tua boca confessares que Jesus é o Senhor, e se em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo”   (Rm 10,9). Ser salvo. O que é ser salvo? É  ser  liberto das tentações de terrenas. Ninguém será liberto delas plenamente nesta vida. É impossível, pois, continuamos humanos.  Contudo, poderemos ser libertos totalmente ao final. É a salvação que esperamos.

Entretanto, não se esqueça:  Ela não se fundamenta na palavra, mas no coração. É lá que a fé precisa estar para vencer as tentações. O mesmo terreno do coração é disputado por anjos e demônios. Cuidado! Que os primeiros vençam.

Eu diante da Palavra

 

Jesus foi tentado
1 Cheio do Espírito Santo, voltou Jesus do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto, 2 onde foi tentado pelo demônio durante quarenta dias. Durante este tempo ele nada comeu e, terminados estes dias, teve fome (Lc 4,1-2).

Em que tentações mais caio hoje?

Não será confundido
11 A Escritura diz: Todo o que nele crer não será confundido (Is 28,16)  (Rm 10,11).

O que a fé me ensina e as minhas preferências,  me levam a alguma confusão ou incoerência de vida?

O Senhor viu nossa nossa aflição
7 Clamamos então ao Senhor, o Deus de nossos pais, e ele ouviu nosso clamor, e viu nossa aflição, nossa miséria e nossa angústia  (Dt 26,7).

Quem são os aflitos?

Crer com o coração
9 Portanto, se com tua boca confessares que Jesus é o Senhor, e se em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo   (Rm 10,9).

Reio com o coração e com as mãos, com a prática?

 

Minha prece

Em minhas lutas,ó Senhor,
permanecei,junto de mim!
Sois meu refúgio e proteção.
Sois o meu Deus, no qual confio inteiramente.
Vós me guardareis
E conseguirei trilhar vossos caminhos.
Os anjos haverão de me conduzir pelas  mãos,
para que meus pés não se firam nas pedras da maldade.
Sede minha força  Senhor, contra os males que habitam dentro de mim
E contra os quais luto todos os dias.