Aceitação por fé ou por ingenuidade?

Aceitação por fé ou por ingenuidade?

Aceitação por fé ou por ingenuidade?

O episódio em que Jesus apareceu aos discípulos reunidos, estando ausente Tomé, faz pensar na distinção entre a aceitação de uma verdade por fé, com base em fatos concretos ou por ingenuidade.

Certeza. Pelos dez, houve a admissão da presença de Jesus por uma fé ingênua e por Tomé, houve aceitação por uma fé baseada em fatos concretos? Há certo exagero em rotular os dez de ingênuos. Por que não tiveram dúvida? Porque o contexto dizia que estavam diante de Jesus, a percepção confirmava, a certeza perpassava a todos. “Ah, não”  insistem os inconformados “são todos elementos etéreos, não palpáveis! Vacilaram!”

Pode ser, mas também pode não ser.  Como teriam vacilado, se todos tinham a certeza interior de que estavam diante do Senhor? Como os dez poderiam ter vacilado? A certeza transpareceu lúcida, ainda que envolta nas brumas da aparição misteriosa.

Vimos. Sim, o objeto de fé está sempre envolto em brumas que desafiam a clareza da materialidade.  A fé é  baseada no “feeling” associado à afirmação de alguém, em quem depositamos incondicional confiança.  Veja bem: incondicional confiança. Os outros discípulos disseram a Tomé: “Vimos o Senhor”.  Estavam seguros de que o tinham presenciado; Tomé não acreditou.

Ele fez o que provavelmente faríamos. Replicou-lhes: Se não vir nas suas mãos o sinal dos pregos, e não puser o meu dedo no lugar dos pregos, e não introduzir a minha mão no seu lado, não acreditarei!  (Jo, 20,25). A demonstração é prescindível para quem tem fé. Ou você acha que foi a atitude de Tomé que mais levou as pessoas a acreditar na ressurreição? Não é possível fazer esta afirmação.

Não foi a atitude de Tomé que deu maior credibilidade à pregação dos apóstolos. Foi a convicção interior deles. “14 Cada vez mais aumentava a multidão dos homens e mulheres que acreditavam no Senhor”  (At 5,14). Acreditavam no relato das testemunhas e se convertiam.

Revelação. Nem tampouco João estava errado em sua percepção quando foi encarregado, através de uma visão,  de escrever o que sabia.  Observe como aconteceu com ele:  “Ao vê-lo (o Senhor), caí como morto aos seus pés. Ele, porém, pôs sobre mim sua mão direita e disse: Não temas! Eu sou o Primeiro e o Último, e o que vive” (Ap  1,17). Em seguida, recebeu a ordem:  “Escreve, pois, o que viste, tanto as coisas atuais como as futuras” (Ap  1,19). João obedeceu e escreveu o Apocalipse. Obedeceríamos, nestas circunstâncias? Não ficaríamos pensando se era mesmo Deus que estava revelando sua vontade? João acreditou e… que bom! O Senhor se revelou de muitos modos e a muitas pessoas.

Vamos, por fim, perguntar a São Paulo o que é ter fé. Ele responde: “A fé é a certeza daquilo que ainda se espera, a demonstração de realidades que não se vêem. 2 Por ela, os antigos receberam um bom testemunho de Deus” (Hb 11,1-3)Está aí: fé é certeza de realidades que não se vêem. Portanto, fé  não é só para os ingênuos, é também para os que vão até onde a razão permite. A partir dali, depositam um voto de confiança em quem, de fato, merece!

Eu, diante da Palavra

Aumentavam os que acreditavam
14 Cada vez mais aumentava a multidão dos homens e mulheres que acreditavam no Senhor   (At 5,14).

Hoje esse número ainda aumenta?  Por que?

Vimos o Senhor
25 Os outros discípulos disseram-lhe: Vimos o Senhor. Mas ele replicou-lhes: Se não vir nas suas mãos o sinal dos pregos, e não puser o meu dedo no lugar dos pregos, e não introduzir a minha mão no seu lado, não acreditarei!  (Jo, 20,25)

Os onze discípulos acreditaram imediatamente; Tomé, não. Os onze foram ingênuos? São exemplos hoje?

Não temas, sou o que vive.
17 Ao vê-lo, caí como morto aos seus pés. Ele, porém, pôs sobre mim sua mão direita e disse: Não temas! Eu sou o Primeiro e o Último, e o que vive (Ap  1,17).

Peço todos os dias que, o que vive, coloque sobre mim sua mão direita? Aceito-a e vivo segundo ela?

Obedeceu
19 Escreve, pois, o que viste, tanto as coisas atuais como as futuras (Ap  1,19).

João obedeceu e escreveu o Apocalipse. Também obedeço às inspirações do Senhor?

 Minha prece

Graças, Senhor, por vossas manifestações.
Só os simples de coração as percebem.
Os que vos respeitam o Senhor, agora podem dizer:
“Eterna é a sua misericórdia!”
Vós levantais os abatidos, Senhor,
cobris de bênçãos os que vos amam
e não os abandonais às mãos dos inimigos ou da morte.
Alegro-me e exulto de alegria por vosso amor e bondade
ainda que vos contemplemos apenas envolto nas brumas, pela fé.
Não importa: Estais presente ao alcance de cada um de nós. É o que basta.