Corrompimento e volta

Corrompimento e volta

Corrompimento e volta

O mundo não está melhor porque faltam pessoas que assumam seu papel para melhorá-lo. Você concorda? Há um corrompimento geral e poucos sinais de volta.

“Mas como melhorar o mundo?” indagam alguns.  É difícil, mas é possível.

Vivem como pagãos.  Isso mesmo, a maioria dos batizados vivem como se Deus não existisse. Na hora do apuro até se lembram dele, como já acontecia no tempo de Jesus.  Acorriam para ouvi-lo pessoas bem-intencionadas e as que procuravam uma forma de o desqualificar. Lembra dos escribas e dos fariseus? “Todos os publicanos e pecadores aproximavam-se de Jesus para o escutar. 2 Os fariseus e os escribas, porém, murmuravam contra ele”  (Lc 15,1). Tinham hostilidades disfarçadas ou abertas  entre si, [1] mas um ponto tinham em comum: não se conformavam com Jesus.  “Este homem acolhe os pecadores e come com eles” (Lc 15,2). Que escândalo!  Não é novidade: hoje também correntes opostas acorrem a Deus: os que praticam a Palavra e os que só a conhecem; os que rezam a Deus e os que vivem segundo o espírito do mal, xingam em casa, são agressivos com os outros, são impacientes, ofendem as pessoas.

Só orar é perigoso. A pergunta é sempre oportuna para sairmos das arquibancadas e irmos a campo: estamos entre os que jogam no time de Cristo ou ficamos apenas entre os que assistem nas arquibancadas da vida e ainda nos achamos cristãos? Só assistir não rende pontos; só ganha quem joga no campo da vida. Não basta orar, orar. É preciso levar uma vida condizente com a oração. “Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor! Senhor!’, entrará no Reino dos Céus, mas só aquele que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus” (Mt 7,21). Não podemos alegar desconhecer o que Deus espera de nós. Ou você pode?

Não há ignorância.  Geralmente se sabe como se deveria agir, mas não se age daquela forma. Não há como alegar desconhecimento. Não nos foram dados os ensinamentos? Como ignorá-los?  A questão está em valorizá-los ou não. São Paulo passou por condição parecida. Outrora era blasfemo, perseguidor e injuriador. Mas alcancei misericórdia, porque ainda não tinha recebido a e o fazia por ignorância (1Tm 1,13). A maioria de nós recebeu a fé desde pequenos. Potanto, sabemos o que devemos fazer, não? Pode ser que tenhamos nos desviado depois. Então, o problema não é alegar que desconhecemos. É nos fazermos de desentendidos.

Cabeça dura.  Deus assim percebia, muitas vezes, seu povo no tempo de Moisés. Vejo, continuou o Senhor, que esse povo tem a cabeça dura (Ex 32,9).  Você  tem? Se reconhece, é o ponto de partida. O problema é se achar melhor que os outros em matéria de religião. Se você não consegue viver o que sabe sobre religião, console-se, se você se esforça. Deus não abandonará você, como não abandona os pecadores. 15 Eis uma verdade absolutamente certa e merecedora de fé: Jesus Cristo veio a este mundo para salvar os pecadores, dos quais sou eu o primeiro  (1Tm 1,15). Os pecadores arrependidos! Você pode se dizer um deles? São Paulo podia. Ele tinha consciência de suas limitações. Temos também? Fazemos algo para melhorar?

Deus vem à procura.  4 Quem de vós que, tendo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto e vai em busca da que se perdeu, até encontrá-la?  (Lc 15,4). Sim, Deus vem à procura de cada um de nós!   Já pensou neste fato? Contudo, nem sempre olhamos nos olhos dele. Fingimos que de nada sabemos. Temos posturas multifacetadas de acordo com nossas conveniências. Contudo, você sabe que, embora você lhe vire as costas, Deus está vindo sempre à sua procura, não sabe? Quem sabe e algum momento deixaremos de ser filhos pródigos!

Papéis. Na parábola do filho pródigo, com qual dos personagens nos parecemos? Com o filho mais novo, que manda tudo pros ares e sai de casa? Com o filho mais velho que tem inveja do que o pai oferece ao filho mais novo? Com o pai que perdoa apesar de tudo? Todos exercemos algum desses papéis em algum momento. Qual você mais exerce?  Identificá-lo é fundamental para você avaliar  qual está sendo sua contribuição para melhorar este mundo, começando à sua volta. Há um Pai esperando sempre seu regresso! Não se esqueça. Por quanto tempo você o deixará esperando?

Melhorando o exercício do seu papel de cristão no lugar em que você vive, você estará melhorando o mundo.  O mal que fazemos, a impaciência, a agressividade, a ofensa… não fazem bem a ninguém. Nem a você, nem as outros. Certamente poucos de nós tem motivos para não ser melhores; a maioria a maioria das pessoas tem desculpas. Você acha que tem o que?

Não se iluda: O mundo dos seus sonhos, passa por sua mãos!

 Eu diante da Palavra

Corrompimento
 7 O Senhor disse a Moisés:Vai, desce, porque se corrompeu o povo que tiraste do Egito (Ex 32,7).

Sou um batizado corrompido? Ou sou um batizado que leva a sério sua vivência como cristão?

Cabeça dura
 9 Vejo, continuou o Senhor, que esse povo tem a cabeça dura (Ex 32,9).

Tenho resistência para fazer as coisas como deseja o Senhor? O que devo fazer para ser menos cabeça dura em matéria de fé?

Deus vem à procura
4 Quem de vós que, tendo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto e vai em busca da que se perdeu, até encontrá-la?  (Lc 15,4).

Deus vem à minha procura. Dou atenção a ele ou me faço de desentendido?

Fazer por ignorância
13 a mim que outrora era blasfemo, perseguidor e injuriador. Mas alcancei misericórdia, porque ainda não tinha recebido a e o fazia por ignorância (1Tm 1,13).

O mal que faço (impaciência, agressividade, ofensa…) é por ignorar como devo proceder ou por falta de esforço em agir da forma correta que conheço?

Veio para os pecadores
15 Eis uma verdade absolutamente certa e merecedora de fé: Jesus Cristo veio a este mundo para salvar os pecadores, dos quais sou eu o primeiro  (1Tm 1,15).

Sou também pecador. Que atitudes minhas demonstram que aceitei Jesus Cristo e seu ensinamento?

Minha prece

O povo está corrompido, Senhor,
Como no tempo de Moisés.
Jesus veio,
Mas muitos não o ouviram,
Inclusive eu.
Quem escuta, vive como ele ensinou.
Minha cabeça por vezes é dura, Senhor.
Perdão.
Quero ser ovelha mais dócil,
Ovelha perdida que aceita o afago do pastor que veio buscá-la.
Convosco, Senhor, estarei seguro. Serei feliz!

 


[1]