Comemoração de todos os fiéis defuntos

Comemoração de todos os fiéis defuntos
                                                                                                                                   02/11 – Comemoração dos fiéis falecidos

     Segundo a doutrina da Igreja:

O que nos acontecerá quando morrermos? Na morte separam-se o corpo e a alma. O corpo decompõe-se, enquanto a alma vai ao encontro de Deus e espera que, no Juízo Final, seja unida ao seu corpo ressuscitado. Pouco sabemos sobre o aspecto futuro do nosso corpo.[1]

O que exprimem as exéquias católicas? Os ritos das celebrações relacionadas com os falecidos, exprimem o carácter pascal da morte cristã. Exprimem a esperança da ressurreição e comunhão das pessoas com o falecido particularmente através da oração pela purificação da sua alma.[2]

Quais os momentos principais das exéquias? Comumente as exéquias compreendem quatro momentos principais: 1) o acolhimento da urna pela comunidade, com palavras de conforto e de esperança; 2) a liturgia da Palavra; 3) o sacrifício eucarístico; 4) e «a encomendação». Por este último rito a alma do defunto é confiada a Deus, fonte de vida eterna, enquanto o seu corpo é sepultado na esperança da ressurreição.[3]

Como tratar os corpos dos falecidos? Os corpos dos defuntos devem ser tratados com respeito e caridade. A sua cremação é permitida, se não puser em causa a fé na ressurreição dos corpos.[4]

Como os falecidos participam no sacrifício eucarístico? O sacrifício eucarístico é oferecido pelos vivos e pelos falecidos. A vida dos fiéis, o seu louvor, o seu sofrimento, a sua oração, o seu trabalho são unidos aos de Cristo. Com o sacrifício de Cristo foi oferecido por todos, a Eucaristia é também oferecida por todos os fiéis vivos e defuntos, em reparação dos pecados de todos e visando obter de Deus benefícios espirituais e temporais. No sacrifício eucarístico a Igreja do céu está unida também à oferta de Cristo.[5]

O que são as indulgências? O pecado deixa consequências para nossa vida terrestre, apesar de perdoados. As indulgências são a remissão diante de Deus da pena temporal devida pelo pecado, em razão do pecado já perdoado que cometeu. O poder para apagar a essas consequências materiais provém da invocação da bondade de Deus pela igreja, para com aquele fiel que, cumprindo determinadas condições estabelecidas pela igreja, adquire para si ou para os defuntos, o tesouro dos méritos de Cristo e dos Santos.[6]

A Igreja reúne aqueles que formam o corpo de Cristo no céu e na terra, os vivos e falecidos. Formamos todos o corpo de Cristo

———————————————————

[1] YOUCAT Brasil, Catecismo jovem da igreja católica, São Paulo: Paulus, 2010, pergunta 154.

[2] Catecismo da Igreja Católica, pergunta 355.

[3] Catecismo da Igreja Católica, pergunta nº 356.

[4] Catecismo da Igreja Católica, pergunta nº 479.

[5] Catecismo da Igreja Católica, pergunta nº 281.

[6] Catecismo da Igreja Católica, pergunta nº 312.