Tempestades e fé

Tempestades e fé

Tempestades e fé

As tempestades da vida balançam nossa fé, como os apóstolos ficaram temerosos na barca em que Jesus dormia. Será que nossa fé hoje é maior do que a fé dos apóstolos que temiam naufragar na tempestade?

Ele se importa. Durante a tempestade no meio do mar, Jesus dormia. Ele se achava ”na popa, dormindo sobre um travesseiro. Enquanto isso o barco balançava e o vento rugia. Os discípulos achavam que Jesus não tinha noção do que estava acontecendo. Como nós também, muitas vezes em nossas dificuldades pensamos que Deus não se importa conosco. Que fizeram os discípulos? Eles acordaram-no e disseram-lhe: Mestre, não te importa que pereçamos? (Mc 4,38). Foi um presságio do que nós cobramos também de Deus: Por que eu peço, peço, e o Senhor não me atende? Não se importa comigo, com minha aflição? Contudo, Deus está nos acompanhando no barco da vida. Ainda que tenhamos a impressão de que ele esteja dormindo.

Fé. Que disse Jesus aos discípulos aflitos? “Ele disse-lhes: Como sois medrosos! Ainda não tendes fé?” (Mc 4,40). Ou seja, apesar de me terem visto curar doença e expulsar demônios, como conta Marcos nos capítulos 1 a 3, ainda não acreditam em mim? Verdade. Os discípulos haviam tido muitas manifestações do poder de Jesus. Nós, não? Temos conhecimento de tudo o que ocorreu em sua vida, sabemos de sua morte e ressurreição. Nada disso nos leva a acreditar que Jesus é Deus, tudo pode, e por que nos ama não nos deixará perecer? Certamente é endereçada também a nós hoje a perplexidade de Jesus: “Ainda não tendes fé?” Possivelmente a mesma pergunta Jesus pudesse dirigir a nós hoje, apesar de tantos sinais que já recebemos para que possamos crer.

 Maravilhas da criação. Deus interroga Jó sobre as maravilhas da criação. “8Quem fechou com portas o mar, quando brotou do seio maternal,
9 quando lhe dei as nuvens por vestimenta, e o enfaixava com névoas tenebrosas;
10 quando lhe tracei limites, e lhe pus portas e ferrolhos,
11 dizendo: Chegarás até aqui, não irás mais longe; aqui se deterá o orgulho de tuas ondas?”
(Jo 38,8-11). Jó não entende como ode ter acontecido esta ordem da natureza. O mar nasce e permanece em seu lugar cósmico, com seus limites claros. Esta maravilha e perfeição da natureza revela o poder e a sabedoria divinos. Quem criou a natureza em harmonia também enviou seu Filho para mostrar o caminho da salvação.

Homem e Deus. Os apóstolos estavam convivendo com o Jesus o homem. Era o que viam. “Muito embora tenhamos considerado Cristo dessa maneira, agora já não o julgamos assim“ (2Cor 5,16). Aos poucos foram descobrindo que ele era também o Cristo, o Ungido de Deus. Contudo, tiveram que convier com ele, como a multidão, para perceberem quem, de fato ele era. Nós, hoje, temos muito mais revelações da divindade e do poder de Jesus. Nossa fé é maior por causa disso? Não parece. Contudo, que nos conscientizemos a cada dia de que o Ungido de Deus é digno de fé. Ele está conosco na barca da vida e morreu para que saíssemos da morte e tivéssemos vida. “O amor de Cristo nos constrange, considerando que, se um só morreu por todos, logo todos morreram” (2Cor 5,14). Ele vigia por nós nas procelas da vida.

Se abrirmos nossos olhos aos sinais de fé, não temos motivo para não acreditar no amor de Deus por nós. Deu-nos a criação perfeita, mandou os profetas, enviou seu próprio Filho para ser nosso guia, manifesta seu poder através de acontecimentos na vida de muitas pessoas em nossos dias. Que não duvidemos ou sejamos temerosos de que Deus não liga pra nós. Ele está conosco especialmente durante as tempestades de nossa vida. Que nessas horas, façamos nossa parte e depositemos nele nossa confiança.

             Eu diante da Palavra

Dominou o mar
1 Então, do seio da tempestade, o Senhor deu a Jó esta resposta:
8 Quem fechou com portas o mar, quando brotou do seio maternal,
9 quando lhe dei as nuvens por vestimenta, e o enfaixava com névoas tenebrosas;
10 quando lhe tracei limites, e lhe pus portas e ferrolhos,
11 dizendo: Chegarás até aqui, não irás mais longe; aqui se deterá o orgulho de tuas ondas?
(Jo 38,1.8-11)

Consigo acreditar mais em Deus olhando a perfeição da natureza, antes de sofrer a influência negativa do ser humano?

O mar obedece
40 Ele disse-lhes: Como sois medrosos! Ainda não tendes fé?
41 Eles ficaram penetrados de grande temor e cochichavam entre si: Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem?
(Mc 4,40-41)

Vivo sob a influência de meus esforços ou acredito na influência de Deus em minha vida??

Nova Criatura
16 Por isso, nós daqui em diante a ninguém conhecemos de um modo humano. Muito embora tenhamos considerado Cristo dessa maneira, agora já não o julgamos assim.
17 Todo aquele que está em Cristo é uma nova criatura. Passou o que era velho; eis que tudo se fez novo!
(2Cor 5,16-17).

Vivo como nova criatura ou com os velhos pecados e vícios dos que não se importam com o ensinamento divino?


Minha prece

Senhor, os que sulcam o alto-mar com seus navios,
em viagens de comércio ou passeio,
testemunham vossos prodígios.
Da mesma forma que criastes a natureza para nossa bem
Estais pronto a nos libertar dos nossos medos,
Transformando a tempestade em bonança,
e as ondas do oceano em mar sereno.
Obrigado, Senhor, por vossa presença no meio de nós
e por vossas maravilhas que enchem nossos olhos.
Bendito sois vós que nos acompanha em todos os momentos.