Assumir compromissos cristãos por ser livre

Assumir compromissos cristãos por ser livre

Assumir compromissos cristãos por ser livre

Há muitos cristãos que não são comprometidos com sua fé. Por que não oram?  Não só. Muitos até oram, mas não assumem compromissos concretos de caridade, como prova de que são seguidores de Cristo. Sim, pois não há como ser seguidor de Cristo e não demonstrar com a vida. Ou se segue a Cristo ou não se é cristão. Ou, por acaso, alguém é cristão por obrigação?

Assumir a vida cristã por ser livre – Alguém até pode ser batizado e ter-se tornado cristão porque os pais o educaram nessa fé e não porque em algum momento de sua vida fez sua opção. São os católicos de nome, mas descomprometidos. Não se deve continuar assim. É necessário que, em algum momento da vida, da mesma forma que se decide sobre profissão, casamento, cursos a fazer, onde morar, como se manter, também se decida sobre continuar a ser cristão ou não. Então não basta continuar só porque nossos pais nos batizaram? É pouco. Ser ou continuar cristãos, é uma decisão a ser tomada com liberdade. Por que razão? Porque implica compromisso Implica renúncia a atitudes não condizentes com a opção por ser cristão. Assumindo livremente, a pessoa também se comprometerá. ” 1 É para que sejamos homens livres que Cristo nos libertou. Ficai, portanto, firmes e não vos submetais outra vez ao jugo da escravidão” (Gl 5,1). Não viverá como escravo de um compromisso batismal que não assumiu. Deixará de ser cristão apenas de nome. Observou com é que muitos cristãos deixariam de ser cristãos apenas de nome?

Ser servo dos outros –  O cristão é desafiado a todo instante a vencer o desejo de fazer apenas o que lhe dá prazer. É instintivo a pessoa ser acomodada, não se comprometer com o que não lhe dá prazer, ao invés de ajudar o próximo ou contribuir com sua comunidade. Contudo, 13 Vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não abuseis, porém, da liberdade como pretexto para prazeres carnais. Pelo contrário, fazei-vos servos uns dos outros pela caridade,” (Gl 5,13). Ser servo dos outros. Já pensou como é difícil? Não se humilhar é um desejo humano, da carne, difícil de ser vencido.

Desejos da carne – Que significa “desejos da carne”? Significa os desejos instintivos. São apenas humanos e até contrários ao desejo espírito Exemplos desses desejos ruins são falar mal dos outros, orgulho, adultério, egoísmo, preferir o que dá poder, prazer.“Os desejos da carne se opõem aos do Espírito, e estes aos da carne; pois são contrários uns aos outros. É por isso que não fazeis o que quereríeis” (Gl 5,5,17). Quem possui desejos da carne, precisa lutar para voltar-se para o desejo do espírito.
Vai, mas volta – Exemplo também de laços da carne são os laços de sangue. Quem não tem apego à sua família!  Claro que muitos, não. Mas a maioria das pessoas, guardam os laços familiares com muito carinho. Elias até fez concessão a Elizeu neste quesito. 20 Eliseu, deixando imediatamente os seus bois, correu atrás de Elias, e disse: Deixa-me ir beijar meu pai e minha mãe, depois te seguirei. Vai, disse-lhe Elias, mas volta, porque sabes o que te fiz” (1Rs 19,20).  Mas Jesus, em muitos momentos, nem fez esta concessão. Para ele, os laços de sangue estão em segundo plano.

Primeiro, o reino – Exigiu que aquele que desejasse segui-lo deveria abdicar até de se despedir dos pais. Deveria segui-lo imediatamente. 61 Um outro ainda lhe falou: Senhor, seguir-te-ei, mas permite primeiro que me despeça dos que estão em casa. 62 Mas Jesus disse-lhe: Aquele que põe a mão no arado e olha para trás, não é apto para o Reino de Deus” (Lc 9,61). Jesus exige o cumprimento à risca do primeiro mandamento. Lembra qual é? Amar a Deus sobre todas as coisas. Ou seja, o cristão precisa amar a Deus em primeiro lugar. Depois, pode até amar a família. Deseja que essa hierarquia seja mantida, mesmo no caso de morte de entes queridos. 59 A outro disse: Segue-me. Mas ele pediu: Senhor, permite-me ir primeiro enterrar meu pai.60 Mas Jesus disse-lhe: Deixa que os mortos enterrem seus mortos; tu, porém, vai e anuncia o Reino de Deus” (Lc 9,59-60). Observou como Deus exige que se dê primazia absoluta ao desejo do espírito sobre o desejo da carne?

Não o receberam – Aqueles que se comprometem a dar preferência às coisas do espírito, enfrentam uma briga com os próprios desejos. Isto é certo. Uma dura luta! Contudo pode enfrentar também oposição das demais pessoas. Seja dos não cristãos, como acontece ainda hoje em países que torturam e matam cristãos, seja em nosso trabalho, em nossa família. Os que procuram caminhar para a Jerusalém celeste nem sempre são bem recebidos pelos que são afeiçoadas aos bens terrenos e aos desejos de grandeza humana, como aconteceu com Jesus. “52 Enviou diante de si mensageiros que, tendo partido, entraram em uma povoação dos samaritanos para lhe arranjar pousada. 53 Mas não o receberam, por ele dar mostras de que ia para Jerusalém (Lc 9,52-53). Também hoje, os que dão mostras de que levam uma vida cristã comprometida com a Jerusalém celeste, além de enfrentarem uma luta dentro de si, contra seus desejos internos, muitas vezes precisam enfrentar a crítica da sociedade.

Que fazer então? Sermos cristãos por opção. Chega de cristãos apenas porque cresceram na religião católica, não acha? São necessários hoje cristãos que aceitam a salvação trazida por Cristo. “56 O Filho do Homem não veio para perder as vidas dos homens, mas para salvá-las” (Lc 9,56). Os que a aceitam, seguirão Jesus Cristo livremente. Serão cristãos comprometidos em ser servos dos outros, como foi o próprio Mestre.

 

Eu diante da Palavra

 

Assumir a vida cristã por ser livre
 “13 Vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não abuseis, porém, da liberdade como pretexto para prazeres carnais. Pelo contrário, fazei-vos servos uns dos outros pela caridade,” (Gl 5,13).

Utilizo minha liberdade para assumir compromissos com meus irmãos ou uso minha liberdade para fazer apenas o que gosto?

Vai, mas volta
20 Eliseu, deixando imediatamente os seus bois, correu atrás de Elias, e disse: Deixa-me ir beijar meu pai e minha mãe, depois te seguirei. Vai, disse-lhe Elias, mas volta, porque sabes o que te fiz” (1Rs 19,20).

Dou atenção a meus pais e aos meus afazeres, mas antes e tudo, sigo a Deus no meu dia a dia?

Sepultar é menos importante que seguir Cristo.
59 A outro disse: Segue-me. Mas ele pediu: Senhor, permite-me ir primeiro enterrar meu pai.
60 Mas Jesus disse-lhe: Deixa que os mortos enterrem seus mortos; tu, porém, vai e anuncia o Reino de Deus
” (Lc 9,59-60).

Sou capaz de renunciar a interesses que julgo importantes, para dar mais servir melhor ao reino de Deus?

Familiares
61 Um outro ainda lhe falou: Senhor, seguir-te-ei, mas permite primeiro que me despeça dos que estão em casa.
62 Mas Jesus disse-lhe: Aquele que põe a mão no arado e olha para trás, não é apto para o Reino de Deus
” (Lc 9,61).

Sou comprometido com os compromissos cristãos ou fico com saudades da vida descomprometido que levo ou levava?

Não o receberam
52 Enviou diante de si mensageiros que, tendo partido, entraram em uma povoação dos samaritanos para lhe arranjar pousada. 53 Mas não o receberam, por ele dar mostras de que ia para Jerusalém (Lc 9,52-53).

Muitas pessoas também hoje zombam de quem se dedica ao serviço da igreja. Participo de alguma pastoral da minha comunidade? Tenho sofrido algum constrangimento por isto?

 

Minha prece

Senhor,
quero te seguir como fizeram os apóstolos
que deixaram tudo para te acompanhar.
Quero te seguir dando testemunho de minha vida cristã,
Ajudando na minha comunidade,
Dando menos importância para meus desejos terrenos, carnais,
Mas realizando gestos que são expressão do compromisso com as coisas do espírito.
Ajuda-me, Senhor, a não olhar para trás
E ficar com saudade da vida descompromissada com os outros.
Desejo seguir teus passos, vivendo de modo comprometido
Em viver segundo teus ensinamentos.
Que assim seja.