Pedro e Paulo baluartes da Igreja

Pedro e Paulo baluartes da Igreja

Pedro e Paulo, baluartes da Igreja

Pedro e Paulo deram a fisionomia cristã à Igreja nascente. Com eles foram se solidificando as bases da Igreja de Cristo. Ou seja, assumiram sua fé. Ambos até foram mortos por causa dela. Preferiram abdicar da vida a abdicar da fé. Você também preferiria? Há cristãos no oriente que quase diariamente estão sendo mortos por causa da fé.

Maltratar. À época, Herodes percebeu que maltratar os cristãos agradava ao povo. Tomou, então,”medidas visando maltratar alguns membros da Igreja.  Mandou matar à espada Tiago, irmão de João. Vendo que isso agradava aos judeus, mandou prender também a Pedro” (At 12,1-2). Que frieza! Hoje agrada a alguém maltratar os outros? Com certeza! Há os que maltratam fisicamente, por exemplo, pela tortura. Quem nunca ouviu falar que isto acontece? A mídia está mostrando que todos os dias existem  agressões a inocentes nas ruas,  mortes, crueldades que atemorizam a todos. Maltratar ainda agrada a muitos.

Maus tratos. Não nos iludamos de que existem apenas essas crueldades descaradas. Existem os maus tratos sutis que agradam àqueles que os praticam e não aparecem em jornais: a maledicência em casa ou no trabalho, o maltrato a empregados, as agressões verbais, o ódio, as agressões físicas. São maus tratos, sutis ou não, que ferem e  agradam os Herodes de hoje. Espere um pouco: será que você e eu não somos um deles?  É possível. Melhor seria que os que convivem conosco confirmassem que não somos pessoas dadas aos maus tratos no dia a dia da convivência.

Pedro. Pedro estava na mira de Herodes. Matá-lo seria um belo agrado aos sedentos de crueldade, de sangue e de morte. Hoje quase não há pessoas com esses desejos, não? Infelizmente existem muitas!  De fato, Pedro era um alvo precioso por chefiar a comunidade religiosa dos cristãos e por ser aquele que, quando Jesus perguntou quem eles achavam que ele fosse, “respondeu: ‘Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo’” (Mt 16,16). Esse reconhecimento de primeira tornou-se exemplar para todo cristão. Pedro reconheceu o Filho de Deus e passou a viver com ele. E nós? Reconhecemos e o seguimos? Reconhecemos e convivemos com ele? Ou apenas dizemos que ele é o Filho de Deus, e pronto?

Paulo. Paulo foi outro que caiu do cavalo na vida. De perseguidor passou a intrépido cristão.  O reconhecimento e o seguimento do Mestre por Paulo, foi tal que pôde dizer no final da vida: “Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé” (2Tm 4,6). Eu poderei dizer o mesmo? Se combatermos o bom combate do bem e guardarmos a fé, poderemos esperar como Paulo: “Resta-me agora receber a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia, e não somente a mim, mas a todos aqueles que aguardam com amor a sua aparição” (2Tm 4,8). Será o grande momento.

Pedro e Paulo foram e são dois baluartes da Igreja. Delinearam a fisionomia da igreja nascente, pelo ensinamento e pelo testemunho. Que você e eu estejamos esculpindo com nosso testemunho entre aqueles com quem convivemos a fisionomia da bela igreja de Cristo. Pedro e Paulo fizeram a parte deles. Resta a nós, fazer nossa parte.

Eu, diante desta realidade

Agradar
Por aquele tempo, o rei Herodes tomou medidas visando maltratar alguns membros da Igreja.
Mandou matar à espada Tiago, irmão de João.
3 Vendo que isso agradava aos judeus, mandou prender também a Pedro (At 12,1-2).

Agrada-me maltratar por palavras os que convivem comigo?

Certeza
Quanto a mim, já estou sendo oferecido em libação, pois chegou o tempo da minha partida.
Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé (2Tm 4,6)

Posso dizer como Paulo?

Reconhecer o Filho de Deus
 16 Simão Pedro respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mt 16,16).

Reconheço Jesus como Filho Deus e isso repercute em minha vida?

 Minha prece

Senhor, quero contemplar vossa face,
e vosso rosto sendo fiel, como Pedro e Paulo.
O anjo do Senhor vem acampar
ao redor dos que vos temem.
Que venham ao meio redor.
Vós sois bom!
Será bem-aventurada a pessoa que em vós encontra seu refúgio! (Sl 34).
Quero ser um desses vossos filhos
que em vós se refugia!